Perguntas Frequentes

Mercado de Carbono e Projetos para Agricultura e Florestas

Quais são os gases de efeito estufa? Por que se usa o termo “carbono” para tudo?

Os principais gases de efeito estufa considerados para efeito do mercado de carbono são o dióxido de carbono (CO2), gás metano (CH4), óxido nitroso (N2O), hexafluoreto de enxofre (SF6), além de halofluorcarbonos (HFCs) e perfluorcarbonos (PFCs). O dióxido de carbono é o GEE preponderante nas emissões históricas e atuais e, portanto, convencionou-se o uso do dióxido de carbono equivalente, unidade que reflete o potencial de aquecimento global de todos os gases ao reportar uma emissão de GEE.

O que é um crédito de carbono?

Um crédito de carbono é um certificado negociável que representa uma redução de uma tonelada de dióxido de carbono ou dióxido de carbono equivalente (CO2e).

Como você gera créditos de carbono?

Créditos de carbono são gerados a partir de atividades que reduzem ou removem gases de efeito estufa da atmosfera, sendo estes gases os principais responsáveis pela intensificação dos efeitos das mudanças climáticas.

Quais são as etapas de um Projeto de créditos de carbono?

Um projeto de créditos de carbono passa pelas seguintes etapas principais:

  1. Elaboração do projeto: documento que descreve em detalhe a atividade a ser implementada, a partir da seleção de uma metodologia existente no organismo de registro escolhido (por exemplo, o Verra). O documento aborda toda a parte de quantificação e demonstração de elegibilidade, adicionalidade, impactos socioambientais, dentre outros.
  2. Validação do projeto e registro: uma vez finalizado o projeto, ele deve ser submetido a uma entidade credenciada pelo organismo de registro. É uma terceira parte que irá avaliar a credibilidade e qualidade das informações, a partir de evidências documentais, além de inspeção física às propriedades incluídas no projeto. Uma vez finalizada a validação, o projeto é registrado, mediante um parecer positivo da empresa validadora.
  3. Monitoramento, verificação e emissão dos créditos: o crédito de carbono é sempre emitido a partir do momento em que aquela emissão evitada ou remoção ocorreu. Assim, é necessário esperar um ano, a partir da data de início do projeto, para realizar o primeiro monitoramento, quando então é preparado um relatório com os quantitativos reais daquele período. Esse relatório, junto com as suas evidências, é submetido a uma terceira parte, credenciada pelo organismo de registro, denominada verificadora. Assim como na validação, a entidade fornece um parecer que, se positivo, confirma a veracidade das informações e autoriza a emissão dos créditos.
Como posso determinar a qualidade de um crédito de carbono?

Uma compensação de carbono de alta qualidade:

  • É adicional: essa atividade levou diretamente a uma redução das emissões de gases de efeito estufa (GEE) que, de outra forma, não aconteceria.
  • É permanente: essas reduções de emissões permanecerão por um prazo mínimo de 30 anos.
  • Evita problemas como dupla contagem (situação em que o crédito é vendido ou contabilizado duas vezes) e vazamento (quanto a emissão evitada pelo projeto simplesmente é deslocada para outro local, fora dos limites do projeto).
  • É validado e verificado por terceiros qualificados.
  • É certificado por um padrão reconhecido.
Quem compra um crédito de carbono e por quê?

Créditos de carbono são adquiridos basicamente por duas razões: para cumprir metas regulatórias, como é o caso de organizações inseridas em sistemas de comércios de emissões ou outros mecanismos que definem obrigatoriedades para a compensação de suas emissões ou ainda ambientes voluntários de compensação. Neste caso, empresas, organizações e mesmo indivíduos realizam a aquisição destes créditos para compensar parte ou a totalidade de suas emissões, a partir de metas voluntárias definidas, o que agrega valor à empresa e a posiciona no contexto de uma economia de baixo carbono.

O que marca o início de um projeto?

Todo projeto de créditos de carbono tem um início formal, cujo termo em inglês é “start date”. O marco inicial do projeto é uma carta de interesse ou algum outro documento que comprove a data e a intenção em se implementar o projeto.

Qual é o tempo de duração de um projeto?

O período de creditação é o tempo possível de duração de um projeto para gerar créditos de carbono. Para projetos que seguem o padrão Verra, principal organismo de certificação de créditos de carbono no mercado voluntário de carbono do mundo, dentro da categoria de AFOLU (agricultura e florestas) devem ter um período de creditação de no mínimo 20 anos, até o máximo de 100 anos, podendo ser renovado por até quatro vezes, com limite de 100 anos.